Esporte, portugalização e diáspora: os luso-chineses de Moçambique

Lorenzo Macagno

Resumo


O artigo reconstrói a tênue e paradoxal incorporação dos chineses da Beira (Moçambique) na “família portuguesa”. O trabalho se concentra, sobretudo, no período da década de 1950, quando Portugal buscou reforçar a sua ideologia colonial em termos de um suposto multirracialismo exercido nas chamadas Províncias Ultramarinas. De que maneira esta portugalização foi promovida? Através do esporte e, mais especificamente, do basquetebol, os colonos chineses ganharam notoriedade e foram considerados “bons portugueses” e bons cidadãos. Baseado em um trabalho etnográfico multissituado realizado junto aos luso-chineses, este artigo reflete sobre o esporte em termos de uma dimensão significativa daquela modernidade colonial.


Palavras-chave


esporte, diáspora, chineses, Moçambique

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/rer.v2i2.9306

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Lorenzo Macagno